sábado, 19 de dezembro de 2009

O retorno (Será???)

Leitores do Blog...
Sinto muito mesmo pela demora na postagem...
Mas como ja havia mencionado, o quarto período do meu curso é o mais aperriado e ainda por cima o meu computador foi dado como morto... Daí eu "roubo" o do meu pai de vez em quando pra manter os contatos no orkut e msn (como se tivesse milhões de pessoas pra falar né...).
Mas assim, voltando ao que interessa... Tenho muitas coisas pra contar, porém não sei por onde começar...
Ah sim, relendo a ultima postagem eu vi que tava falando sobre mudança né??
Pois bem, mudar, eu mudei... E ao meu ver, pra melhor do que era...
Quanto aos estudos, eu prefiro nem comentar...
Mas para a vida, eu vejo o mundo com outros olhos agora, um mundo mais simples, e que não é difícil de ser vivido, apesar de todos os impecílios que se enconta.
Planejar, sim... Mas viver só no projeto, não mais... O bom é colocar o plano em prática e ver que nem tudo sai do jeito que a gente imagina, daí é importante ter a cabeça no lugar e improvisar pra dar tudo certo...

Eu sempre digo nos fins das postagens que vou tentar escrever regularmente, mas acho que ja deu pra perceber que eu sou meio relapso...
Dessa vez, para ser diferente, eu gostaria de dizer que, como vou viajar em janeiro e provavelmente só volte em fevereiro, vou passar um bom tempo sem escrever e gostaria mais uma vez da compreenção das poucas pessoas que se dão ao trabalho de ler este simples blog sobre a vida de rapaz. ("Eu sou apenas um rapaz, latino-americano, sem dinheiro no banco, sem parentes importantes..." - Como ja dizia Belchior.)
Eu acho que essa foi uma das menores postagens que eu ja fiz, mas é que ainda tenho mais uma prova pra fazer e não estou com cabeça pra pensar muito em quê escrever...
Eu quis deixar a imaginação rolar solta... Só que não rolou muito não...
E pra completar eu estou escrevendo ouvindo Green Day, daí o barulho não ajuda muito a escrever... Eu tô mais curtindo o som do que escrevendo...

Como de costume, Obrigado pelo tempo.
Abraço a todos...

domingo, 18 de outubro de 2009

Dias, Meses...

Passa o tempo, e a gente passa por esse tal de tempo. Mudamos certos pensamentos, mantemos certas atitudes... Somos seres mutantes, vivemos para modificar e sermos modificados é da natureza do ser humano. Todas as vezes que eu começo a escrever no blog eu me desculpo pela demora nas postagens, mas eu imagino que os meus poucos leitores já estejam acostumados a tal demora, pois eu não consigo manter um padrão de tempo para escrever e nem uma padrão no que eu escrevo, acho que já pôde ser percebido isso. As ultimas notícias da minha vida são que eu já to encarando o 4º período do curso e até já fiz as primeiras provas... O problema desse período é que são muitas disciplinas, com muito conteúdo, daí fica ruim estudar pra tudo quando deixa acumular uma coisa ou outra. Mas eu não quero me prender a falar de estudos, aqui é a minha válvula de escape dessa rotina.
Semana passada eu viajei, e devo confessar que a viagem me fez bem. Eu voltei revigorado e pronto pra aceitar uma boa parte da “metamorfose ambulante” que eu sou. Pode parecer molecagem vindo de mim, mas muita coisa vai ser diferente daqui pra frente... Fora o fato de eu me aplicar mais aos estudos, eu vou aproveitar mesmo certas vontades que eu tenho e que me reprimo. Vou exteriorizar o outro “eu” que existe em mim (parece coisa de doido não é não? Mas faz todo o sentido pra mim.).
Bom... Não tenho muito mais o que acrescentar, a não ser que eu vou andar mais tranqüilo do que nunca!!! Hehehehe.
Obrigado pelo tempo (para não perder o costume).
A sim... Só fazer uma velha propaganda aqui...
HAVERÁ UMA FESTA DO CURSO DE FARMÁCIA NO DIA 22/10/2009
FARMALCOOL FEST! NO ZIG BAR! SE PUDEREM E QUISERM, APAREÇAM!!!
Abraço a todos!!

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Um outro olhar...

Sei que faz bastante tempo desde a ultima postagem, mas eu não tinha vontade de escrever e pra não escrever o que não seria do interesse de ninguém ler, não valia a pena. Eu passei os últimos meses estudando, conversando com meus amigos, fazendo reposições, escutando musicas, saindo de vez em quando e outras coisinhas que não são necessárias de se falar aqui. Agora passei duas semanas de recesso e vou voltar para as aulas e esse será o tal do 4º período do meu curso, o que o pessoal diz ser o mais puxado, mas só vendo pra ter certeza não é não? Normalmente eu venho com um tema já previamente pensado pra poder expor certos pensamentos que eu não consigo, ou não quero, falar pessoalmente com as pessoas. Aproveitando pra aumentar a resposta do ultimo post, eu ainda não me encontrei direito, sinto que ainda falta algo pra marcar essa época e eu poder ter certeza de algo.
Não sei se já deu pra perceber, mas, dessa vez, eu estou usando o blog de forma diferente, contando sobre mim e o que está me vindo à mente no momento. Nesses últimos meses eu vi que viver o momento é bom, é bom fazer umas loucuras de vez em quando, mesmo que você veja que não é o certo a se fazer depois de ter feito, mas no momento pareceu o mais correto e isso é o que importa: a coragem de fazer o que você acha certo. Foi por essa vontade de viver o momento que eu freqüentei mais o “Bambu Bar” e o “Bar do seu Vitorino” no período passado, que eu fiquei na UFMA jogando sinuca até mais tarde e que eu comecei a conversar coisas diferentes com outras pessoas, mesmo que esse meu “novo” comportamento não agradasse todas as pessoas próximas a mim, eu não pude deixar de tentar coisas novas, pois era o que “o meu coração” me mandava fazer. Hoje em dia eu acho que tenho mais clareza de muitas coisas sobre a minha vida, por isso é que digo que falta pouco pra eu “me achar” como um ser humano, que habita o planeta Terra e vive em uma sociedade previamente construída que têm suas regras, mas que estas não precisam ser levadas a risca, afinal, as leis foram feitas para serem respeitadas, mas não necessariamente, cumpridas. E é por isso que eu me considero uma exceção às regras gerais, pois essa história de ser igual já passou, o bom agora é ter o seu diferencial, não bom pro mundo, mas o bom pra VOCÊ!

Bom, assim eu gostaria de encerrar este post. Espero que gostem da leitura (Ou seja, do meu desabafo).
Para não perder o costume: Obrigado pelo tempo.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

O ser...

Como eu já havia dito, demorei pra escrever esse post... Mas foi por uma boa razão: provas! Não que eu estudei a finco para todas, mas me esforcei pra estudar para as que mais me importavam.
Dessa vez eu realmente não planejei sobre o que escrever, como fazia antes, eu simplesmente vim aqui e comecei a pensar em algo para escrever e postar no blog.
É fato que muitos assunto vêm a minha cabeça, porém existem uns que eu não julgo certo entrar em discussão, pelo menos no momento.
Ah sim, acho que já sei como começar o assunto de hoje. De uns tempos pra cá eu venho me fazendo uma pergunta que ainda não encontrei a resposta plena pra ela, e nem espero encontrar tão cedo, mas que com um pouco de pensamento é possível respondê-la agora, mesmo que não seja definitiva. A pergunta é: “Quem sou eu?” Parece uma resposta simples: “Eu sou Mauricio!” Mas eu acho que uma nomenclatura não deve definir um ser humano, nós somos mais que nomes, que pensamentos, que atitudes. Nós somos a mistura de tudo isso e muito mais, somos um universo de possibilidades inexploradas de conhecimentos desconhecidos. Nós somos perfeitos em nossa imperfeição, “feitos” para errar e aprender com o erro, para viver e modificar o mundo ao nosso redor, tanto pra bem como pra mal, nascemos maus em nossa essência animal e bons em nossa essência social, somos o indefinido, somos únicos.
Mas então porque essa vontade de se auto-afirmar? De encontrar a “essência pura” do ser humano? Ao meu ver é porque nós somos loucos pelo desconhecido, parece que só ele nos dá prazer em ir atrás, em ver até onde isso vai nos levar. Talvez por isso é que nós gostamos muito das coisas novas, pois elas sempre trazem algo de desconhecido, de misterioso.
Mas voltando a pergunta que deu idéia a esse texto, eu gostaria de revertê-la e perguntar QUEM É VOCÊ?

Eu não vejo mais nada a acrescentar nesse texto e me dou por satisfeito se pelo menos cada um que lê-lo pensar um pouco sobre se mesmo.
Mais uma vez, obrigado pelo tempo!

segunda-feira, 18 de maio de 2009

“Se não ta 8, ta 80...”

Eu não entendo realmente como acontecem certos fatos que nos deixam alegres ou tristes de uma hora para outra, como certas lembranças mexem tanto com a gente que nos faz ficar no mínimo diferentes com tudo e com todos, nos deixa com uma vontade de brincar com todos ou com vontade de nos isolar. Ultimamente isso vem me acontecido com certa freqüência e eu não tinha isso, mas acho que nós mudamos involuntariamente com o passar dos tempos e as preocupações aumentam e se tornam “mais importantes” do que o resto dos pensamentos. Como diz Rodrigo: “A vida é bela!” Pois eu acho que todos nós deveríamos aproveitar mais a vida, deixar de pensar demais e passar pelas regras, pelos medos impostos pelos outros, pois é aí que se encontra a beleza da vida: é ser livre. È deixar a idéia de perfeição de lado e deixar o ID dominar um pouco, fazer bobagens que depois te façam rir.
O bom da frase é que ela mesma se explica e mostra que é apenas um estado (olha o verbo, é o verbo estar!) ainda bem que é só um tempo passageiro e que depois tudo melhora ou piora de vez. Pode parecer meio extremismo da minha parte mas normalmente é assim. Se bem que existem aqueles dias em que se está “normal”, ou seja, 44 (é só fazer a média aritmética viu?) daí não tem tanta emoção como estar muito alegre mas também não tem tanta penumbra como estar muito chateado com algo. Esses dias o pessoal nem comenta nada, mas agora apareça um dia sendo 8 ou 80 e aí sim vais ver todo mundo querendo saber o que aconteceu!

Mais uma vez eu gostaria de pedir desculpas pela demora e venho logo avisando que vou demorar a escrever o próximo post.
Obrigado pelo tempo.

terça-feira, 7 de abril de 2009

Por onde andará...

Onde foi parar a motivação?

Onde está a motivação de mostrar como o mundo é belo, que ainda existem coisas boas a serem vistas, aprendidas, ensinadas? Porque o mundo perdeu o que mais tinha de importante, a Humanidade? Quando me refiro a Humanidade eu não digo a raça humana, mas o sentido de humano do mundo. Claro que ainda existem pessoas humanas, mas parece que quanto mais passa o tempo mais essa relação é perdida e o que fica é o conflito de interesses e a “desvontade” de melhorar como pessoas.
Biologicamente nós estamos evoluindo, mas no sentindo da socialização nós estamos regredindo a um tempo em que podemos ser considerados bárbaros, seguimos uma liderança que predestina o modo de vida e somos cegos para novas experiências (sendo boas ou ruins). Nosso “Tempo” é controlado o tempo todo! Nossa liberdade de agir por nós mesmos é tomada por obrigações sociais, pois o fato de vivermos em sociedade nos faz atados a ela, e, caso ela chame, temos que correr para não desapontá-la. Pois todos perguntam “Porque tu não foste?” só pra saber se a tua versão da história não vai bater com a que foi contada por outros, e pra desmentir você na hora.
Eu gostaria de propor uma espécie de jogo, que há muito tempo eu fiz, que se baseia na forma como você vê certas coisas na vida, uma vez que cada ser vê a vida de uma forma, mesmo que a veja pelo mesmo ângulo... É o seguinte: Eu gostaria de saber de quem lê o blog o que VOCÊ acha “perfeito” e como VOCÊ vê o tempo passar, em outras palavras “O QUE É PERFEITO PRA VOCÊ” e “O QUÊ É O TEMPO PRA VOCÊ”?
São duas perguntas que mudam de resposta constantemente se você parar pra pensar, mas eu acho que vale a pena você pensar nisso e no que vai escrever...

Sei que mais uma vez eu me desvinculei da ordem sobre as Crônicas, mas mesmo fora de ordem esse texto está incluso.

Obrigado pelo “tempo”... abraço a todos!

sábado, 21 de março de 2009

Minhas desculpas...

Peço desculpas aos leitores do blog por não poder atualiza-lo...
Mas é que as aulas começaram e eu estou entrando muito pouco na internet...

Meus planos eram escrever sobre as crônicas hoje (quando arranjei um tempo) mas não me sinto inspirado o suficiente e prefiro não vir a escrever bobagens sem sentido...
Peço a compreenção de todos...

Para não deixar uma lacuna nessa atualização, eu gostaria de repassar umas frase de Johann Wolfgang von Goethe (28 de Agosto de 1749 em Frankfurt am Main – 22 de Março de 1832 em Weimar). Escritor, cientista e filósofo alemão. Autor da grande obra literária: Fausto,
Espero que reflitam sobre as frases...

> "A igualdade nos faz repousar. A contradição é que nos torna produtivo."
> "A alegria não está nas coisas: está em nós."
> "É muito mais fácil reconhecer o erro do que encontrar a verdade; aquele está na superfície e por isso é fácil erradicá-lo; esta repousa no fundo,e não é qualquer um que pode investigá-la."
> "Quem, de três milênios, não é capaz de se dar conta,vive na escuridão, na sombra,à mercê dos dias, do tempo"
> "Juro a você que por mais de uma vez desejei ser um simples trabalhador do campo; assim, ao despertar, teria uma perspectiva para a jornada que começa, uma necessidade que me impelisse e uma esperança."
>>> "Nunca estive tão perto de minha verdadeira felicidade quanto na época daquele amor por Lili. Os obstáculos que nos separavam não eram no fundo insuperáveis, e, no entanto, eu a perdi. Ela foi a primeira por quem experimentei um amor profundo e verdadeiro. Posso dizer também que foi a última, porque todas as paixões que tive no decorrer de minha vida, comparadas a essa primeira, não passaram de atrações ligeiras e superficiais."

Obrigado pelo Tempo...

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Transição...

Crescimento

À medida que a criança vai se desenvolvendo biologicamente são exigidas, dela, responsabilidades sociais. Essas responsabilidades fazem com que a pessoa em formação caia numa rotina social, mesmo que a rotina seja sair para lugares diferentes com os amigos, mas ainda se torna rotina, mesmo que as conversas sejam diferentes, e as pessoas que eles vejam também sejam, mas a idéia de rotina estará incrustada na vida do individuo em formação. A pior parte disse tudo é que esse individuo não terá outra escolha a não ser se adaptar a essa rotina e começar a achar que isso é a vida, rotina de estudos, programação de televisão, etc.. Daí quando ele parar para pensar direito, tudo o que ele fez foi viver a sociedade, e não a vida natural que poderia ter vivido. Não que essa vida natural seja caçar para comer e viver como um animal numa selva. É fato que para um ser social, como o homem, se desprender de muitas regras sociais é uma coisa meio complicada de se pensar, mas não é porque as regras existem que elas devem ser obedecidas como se fossem a única forma de guiar a vida. Uma vez eu li um livro chamado: “Homens e Caranguejos” de Josué de Castro e ele tem uma passagem interessante, tem um homem que não sai do seu quarto e a sua única visão de mundo é através de uma janela e ele usa um espelho pra ver o mundo com o reflexo que o espelho faz da janela do seu quarto, ele também lê os jornais, e sabe muitas coisas sobre política e sobre o que esta acontecendo no mundo. Certa vez quando vão pedir ajuda para ele sobre como agir em uma determinada situação que pode prejudicar a todos do mangue, ele da uma idéia que contraria quase todas as leis da sociedade, e as pessoas perguntam: “Mas isso não é proibido? Não é contra a lei?”. Então ele responde: “As leis devem ser respeitadas, mas não cumpridas.” Essa passagem me fez entender que o mundo sem as leis para assustar não teria organização (não o mundo como nos o conhecemos, as grandes cidades e tudo o mais), mas se as pessoas tivessem a consciência de que elas é que fazem do mundo a bagunça que este se encontra hoje, muita coisa poderia mudar! O nosso objetivo durante a vida deveria ser estudar para produzir conhecimento para as gerações futuras, e dar a elas uma Terra bem cuidada, bem amada e vontade de viver num mundo onde as pequenas coisas seriam valorizadas, e não deve ser como é hoje onde as pessoas se desgraçam suas vidas tendo que trabalhar em dois ou três empregos (se não mais) para ter uma “renda fixa” e pode “viver bem”. Hoje em dia se fala muito em qualidade de vida, mas essa qualidade se resume só a saneamento básico, comida, água limpa? Não deveria estar incluído repouso, vontade de trabalhar no que quer e não no que tem que ir para ter como comer?

Eu sei que um assunto como este não deveria ser discutido por um leigo como eu, mas certas horas eu me pego pensando em certas coisas que não consigo engolir. Eu queria hoje fazer uma breve introdução para falar da adolescência, mas esse assunto me veio à tona e eu não pude deixar de escrever. Vou tentar me prender ao Crescimento agora...

Pois bem, à medida que a criança vai crescendo como indivíduo ela vai se tornando parte integrante e irremovível do “navio social”, como foi dito no filme: Piratas do Caribe - No Fim do Mundo: “Part of the crew, part of the the ship”. (parte da tripulação, parte do navio), a pessoa não vê o mundo como a liberdade que tinha na infância, ela já tem que começar a entender o mundo social, pois caso não o faça, é tachado de louco, de “doente” e essas coisas... Uma coisa que me entristece muito hoje em dia é ver as crianças agindo como adultos, ou apenas querendo agir. Hoje em dia a vontade de se emancipar psicologicamente é tamanha que crianças mesmo já vestem roupas que não são a cara delas e se perguntarem, elas ainda dizem que gostam! E o pior é que essa vontade de crescer faz com que elas realmente gostem de estar daquele jeito! Eu acho um desperdício a pessoa perder a fase mais livre e inocente da vida querendo ser adulta. Só como nota, eu me considerava criança até os meus 16 anos, e não me arrependo, muitos me chamavam de crianção, outros de bobo ou sei lá o quê, mas eu não me arrependo de nada! Eu posso dizer que aproveitei bastante a minha fase, tive que me adaptar socialmente porque é a ordem natural das coisas, eu não pude evitar.

Sim, essas foram as considerações sobre a transição, espero que me perdoem por estar utilizando o blog para outros assuntos não relacionados às Crônicas, vou me segurar daqui pra frente para apenas postar assuntos sobre elas...

Mais uma vez, Obrigado pelo tempo!

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Pensamentos recentes, Poemas antigos...

Hoje eu gostaria de fazer alguma consideração, breve mas de grande
relevância para mim.
Esses dois poemas seguem a mesma linha dos outros, foram escritos quando eu fazia o ensino médio e eu tinha outra mentalidade na época. Porém eu acho que eles podem se aplicar à realidade que eu tô me vendo hoje...
Sei que muitos não irão entender o que se passa, mas o que eu espero é que quem deva entender entenda!
P.S.: VOCÊ não precisa comentar nada comigo se não quiser.


Outros poemas...

------>“Minha Emoção”

Você é o meu raio de luz
O ar que me seduz
Minha vontade de crescer
De me desenvolver
#
Por você eu seguirei
Sem medo de mentir
Ou até mesmo de omitir
O que por você sentirei
#
Sentirei por muito tempo, eu sei
Mas o que posso fazer?
Posso continuar a dizer...
#
Que é apenas você vivendo assim
Que estará aqui muito perto, sim
Estando dentro de mim...


------>“Você e Eu”

É você que me faz rir
Você que faz eu me divertir
Venha aqui pra mim
Volta por mim
#
Quero te ver toda hora
Quero te amar a todo segundo
Te abraçando, brincando,
Conversando, andando...
#
Sem medo da ansiedade
Muito menos da felicidade
Sem temer nada nem ninguém!
#
Você viverá com comigo
E eu poderei te beijar
Pois sempre irei te amar.

Mais uma vez, para não perder o costume: Obrigado pelo tempo!

sábado, 17 de janeiro de 2009

Dois poemas meus

Dessa vez eu decidi postar aqui dois poemas meus, mesmo que escritos a uns dois ano atrás, hoje se aplicam perfeitamente na minha vida!!!!


------>Desconhecimento
#
No escuro posso ver dois feixes de luz chamando
Eles estao em sentidos opostos e se distanciando
Só um pode ser seguido, mas o que são?
Vidas? Amores? tristezas? salvações? não sei não...
#
Sei que se distanciam a cada instante
E que devo ser rápido o bastante
Para saber o que fazer
E decidir qual o melhor a escolher
#
Um volta ao passado
E lembra um bom estado
Que parece sagrado
#
O outro vai para o futuro
Para o desconhecido, novo
Mas ele passa sem tempo, O TEMPO.



------>Confusão
#
Que louco eu poder te ver e não te tocar
Que louco eu só poder te ver passar
Eu queria tudo te contar
Mas você poderia se assustar
#
Precisamos conversar
Precisamos nos comunicar
De uma maneira assim
Que faça sentido pra mim
#
Você não sente mas vê
Que o que eu sinto por você
Não é imaginação
#
Mas sim emoção,
Vida e Paixão
No coração.

Espero que tenham gostado...
Obrigado pelo tempo!!!

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Mais um ano se vai...

Ano Novo, Vida Velha....

Cá estou eu de novo, dessa vez para dizer o que eu penso sobre a passagem de ano e as grandes promessas de mudança que são feitas. Vou tentar não ser chato no assunto, pois muitas pessoas não gostam de falar sobre isso com um certo tom crítico.
Eu mesmo já fui de fazer promessas de mudanças na passagem de ano, de desejar coisas boas para mim e para os outros e no decorrer do ano eu pensava que as coisas iriam simplesmente acontecer sem ninguém ter que fazer por onde, bom eu estava errado. As coisas só acontecem se nó nos dedicarmos e lutarmos pelo que queremos! Eu sei que parece frase de livro de “auto-ajuda”, mas é a verdade. Essa passagem de ano, eu não desejei nada, nem pra mim e nem para ninguém! A única coisa que eu disse foi: “Feliz ano novo!” e eu espero que seja feliz mesmo, mas nada de desejar mais ou de prometer mudar em algo! A frase que me marca muito é: “Seja você mesmo, em todos os aspectos, uma vez que é o mundo não pode viver sem a diferença entre os seres.” Não sei se já escreveram essa frase em algum lugar com outras palavras, se já eu não lembro onde as li. O que eu sei é que as diferenças é que nos fazem iguais, pode parecer um paradoxo, mas é a mais pura verdade, nos romances uma pessoa não procura pela pessoa que a completa? E se todos fossemos iguais? Teríamos um complemento ou alguém para completar? Acho que não. Mas o assunto é sobre promessas, uma amiga minha que eu prefiro não dizer o nome me disse que ia fazer mudanças radicais esse ano, daí eu disse pra ela não fazer isso pra não mudar radicalmente, pois ela pode perder a essência dela! Eu decidi que vou me soltar mais esse ano, mas fiz isso antes do natal, então eu acho que não entra na categoria de “promessas de ano novo”. Eu já estou mais decidido com o que quero com a vida e vou correr atrás agora, se eu me resolvi na época de virada de ano, coincidência (eu acho né?). Mas o meu lema esse ano é: “Ano Novo, Vida Velha! Viva a vida como sempre, para não se arrepender de ter virado outra pessoa depois.”.
Obrigado pelo tempo!
Espero que estes últimos posts estejam sendo tão esclarecedores para vocês como estão para mim, caso não, avisem que eu posso ver como melhorar a escrita!
Abraços a Todos!